Aventura (Priklyuchenie) – Nariman Turebayev, 2014 – 78 min – Cazaquistão (Mostra SP)

Um guarda-noturno (Marat) vê uma garota (Mariyam) à espera de alguém na rua em frente ao seu serviço e ao conhecê-la, suas noites  se tornam cheia de aventuras. Parece sinopse de um filme da sessão da tarde, mas Aventura é uma livre adaptação (pós-moderna?) de “Noites Brancas” de Dostoiévski  e, apesar da simples produção, faz cativar pelas inusitadas situações que Marat passa ao lado de Mariyam pelas madrugadas Cazaquistão adentro e se apresenta como um belo e sensível filme sobre a espera, a rotina e a solidão.

Que horas são no seu mundo? (Dar donyaye to sa’at chand ast?) – Safi Yazdanina, 2014 – 101 min – Irã (Mostra SP)

A iraniana Goli regressa à sua cidade natal após 20 anos na França e encontra um fabricante de molduras (Farhad) do qual ela não se lembra, mas que tudo sabe sobre ela.  Com flashbacks do passado e leves passagens oníricas, Que horas são no seu mundo?, assim como boa parte da produção cinematográfica iraniana mais recente, se afasta das vertentes do clássico cinema iraniano neorrealista de análise do Irã rural e do confronto ao regime do país para apresentar dramas pessoais em zonas mais urbanizadas.  Que horas são no seu mundo? ao retratar personagens que buscam sua identidade, mostra que o cinema iraniano soube se reinventar e ainda é capaz de encantar com a extrema força lírica de seus filmes.

Leviatã (Leviathan) – Andrey Zvyagintsev, 2014 – 140 min – Russia (Mostra SP)

Kolia vive em uma pequena e corrupta cidade no litoral russo ao lado de sua esposa e seu problemático filho onde o prefeito local quer se apropriar da sua casa e da sua oficina mecânica. Fabuloso filme sobre corrupção e abuso de poder com um roteiro que não lhe permite respirar, Leviatã se carrega de personagens autodestrutivos, alegóricos simbolismos e sátiras sombrias para retratar a impotência da luta do menor contra o maior.

Tsili – Amos Gitai, 2014 – 88 min – Israel, Itála, França, Rússia

E o novo filme do veterano Gitai é uma bomba. Tsili conta a história de uma refugiada judia que se esconde nas florestas da Ucrânia e encontra outro refugiado. Sionista até a medula, Tsili é um filme entediante que não sabe onde começa e nem para aonde vai.

Anúncios