O diretor bósnio Danis Tanovic ficou mundialmente famoso em 2001, quando lançou seu primeiro longa metragem, “Terra de Ninguém”, vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro na ocasião. O longa tratava de um episódio ficcional na Guerra da Bósnia, onde dois soldados inimigos acabavam sozinhos em uma mesma trincheira, um dos filmes mais interessantes sobre guerra dos últimos tempos. Posteriormente Tanovic dirigiu “Inferno”, de um roteiro do falecido diretor Krzysztof Kieslowki, voltou a visitar o tema de guerra em “Triage” e em 2010 havia lançado seu último longa até então, Cirkus Columbia, provavelmente seu filme mais leve, com pitadas de comédia. Com Um Episódio na Vida de Um Catador de Ferro Velho o diretor nos conta a história de Nazif Mujic e sua família em um dado momento da vida destes. Nazif é catador de ferro velho, como discrimina o título, e quando sua mulher, grávida, começa a sentir dores no estômago, se vê entrar em uma situação desesperadora. A mulher perde o bebê mas ainda precisa fazer uma cirurgia caríssima para continuar viva. O longa nos mostra os momentos de desespero da família para conseguir resolver este problema.

O tom documental de Um Episódio na Vida de Um Catador de Ferro Velho é extremamente forte no filme, que gastou apenas 30 mil euros para sua produção. Os atores interpretam a si mesmos em uma história que viveram a não muito tempo atrás. Assim sendo, o filme é, na verdade, uma reconstituição com personagens reais. O diretor deixa claro também o tom documental nos movimentos de câmera, quase sempre na mão, na textura do filme, crua, e na abstenção de uma trilha sonora.

As atuações são extremamente naturais em Um Episódio na Vida de Um Catador de Ferro Velho, desde as duas adoráveis garotas Sandra e Semsa que não param em nenhum momento com suas estripulias, demonstrando a inocência das crianças frente a situação vivida pela família, assim como Senada, que cansada de ser subjugada por sua classe social demonstra com sutileza e força seu descontentamento misturado a um medo. Nazif, pai da família, é o ator principal, com sua atuação que transpira verdade, ganhou o Urso de Prata de melhor ator no Festival de Berlin passado em sua primeira atuação na vida.

O fato de terem que reviver tal episódio deu-lhes um peso tão verdadeiro quanto triste. Não há atuações exaltadas, é tudo muito contido, porém ao mesmo tempo extremamente forte pela verdade que passa.

A proposta de Um Episódio na Vida de Um Catador de Ferro Velho faz lembrar do movimento neorealista italiano, utilizando-se de elementos reais para compor uma ficção e externar problemas sociais e políticos de seu tempo.

A escolha de se basear completamente na história, exatamente como esta aconteceu, limita o diretor na parte da criação, porém Tanovic se desdobra com uma fotografia bastante interessante e uma montagem extremamente eficaz, conseguindo nos transmitir toda a frieza e desespero contido presente nos personagens. Destaque para a cena onde Nazif busca objetos de ferro em uma montanha de lixo e quando ele e as filhas aguardam no corredor do hospital, noticias da mãe.

Embora Um Episódio na Vida de Um Catador de Ferro Velho seja aquém do grande sucesso do diretor, “Terra de Ninguém”, “Um Episódio…” vale a sessão por sua proposta diferenciada e provocativa, carregado de uma verdade crua e triste.

Assista ao trailer de Um Episódio na Vida de Um Catador de Ferro Velho

Anúncios