Poucos filmes conseguem aliar drama e comédia com sensibilidade. Eis o caso de A Vida Secreta de Walter Mitty, filme dirigido por Ben Stiller, um dos poucos atores de sua geração que consegue domar os níveis de humor sem entediar platéias ou exagerar na dose. Em um momento, no qual o cinema passa por uma grande crise de roteiristas é animador perceber que um filme despretensioso aparece com tais características.

Walter Mitty (Ben Stiller) é um day-dreamer que trabalha na edição impressa da revista Life, em um setor quase extinto, o arquivo de cromos e fotografias. A revista, prestes a fechar, recebe um último negativo de seu principal colaborador, o fotógrafo Sean O´Connell (Sean Penn). A existência de tal fotografia mergulha Mitty em uma jornada em busca de Sean, sujeito alheio às tecnologias e difícil de ser encontrado. A partir de tal momento é impossível separar a realidade do imaginário de Mitty.

A excelente fotografia e edição de efeitos de A Vida Secreta de Walter Mitty contribuem para que adentremos no universo fantasioso do personagem, o roteiro também contribui, já que transborda situações cômicas e inusitadas, sem deixar de lado a sensibilidade de Walter Mitty. Destaque para a trilha sonora fundada em boas composições e que tem como referência a música Space Oddity de David Bowie.

Para os que tiverem o privilégio de assistir A Vida Secreta de Walter Mitty no cinema, atenção ao personagem de Sean Penn, dotado de grande humanismo e que representa bem o perfil de grandes fotógrafos.
“Você não fotografa com sua máquina, você fotografa com sua cultura” (Sebastião Salgado)

Assista ao trailer de A Vida Secreta de Walter Mitty

Anúncios