Uma História de Amor e Fúria. De tal forma, a animação de Luiz Bolognesi percorre a “evolução” do Brasil, destacando a opressão sofrida durante 5 séculos de história, uma tarefa difícil se analisarmos nossos principais narradores, ocultos na fábula do subdesenvolvido. Heróis como jesuítas, bandeirantes, duques e militares desaparecem frente a resistência de uma história de amor, contada de forma tradicional, a tragédia shakesperiana da nação brasileira dividida em 4 atos.

O holocausto indígena, a balaiada, a ditadura militar e por fim uma perspectiva futurista assustadora, não muito distante de diversas previsões científicas. Esse é o pano de fundo dos protagonistas da animação, coadjuvantes da História do Brasil. Trata-se de uma animação ousada em termos de estética e conteúdo, não há meio termo ao tocar nas nossas feridas. Impacto necessário pra transparecer as veias abertas do nosso país.

Marco na história da animação brasileira, o filme foi realizado durante 6 anos e contou com o envolvimento de profissionais que acreditaram na ideia, cientes da importância e do significado do filme para um povo que luta por mudanças sociais. O brasileiro está cansado de apanhar e abaixar a cabeça. Não teria melhor momento para assistir a este filme concebido anteriormente com o título “lutas”, termo alterado após pesquisas indicarem que era unicamente associado ao universo do MMA.

Luiz Bolognesi revelou a dificuldade ao fazer o filme. Em um momento de crise financeira, produtores canadenses ofereceram 800 mil dólares para ajudar na conclusão da obra, como contrapartida queriam “universalizar” a trama. O diretor não se rendeu, não há como universalizar algo nosso, ao contrário, percebeu que o filme dialoga com diversos públicos por ser um exemplar de algo comum na história da humanidade, a resistência. Trata-se de um filme político, que ganha força ao usar o oprimido como protagonista.

Recomendar “Uma História de Amor e Fúria” é acreditar que o filme possa ser ferramenta na formação de um senso crítico e de contestação de nossos heróis. É acreditar que podemos mudar nossa nação, perceber que nós somos o poder público e que temos força suficiente para lutar e resistir. O futuro pode ser outro, desde que Amor e Fúria estejam nas proporções corretas.

Assista ao trailer de Uma História de Amor e Fúria

Anúncios