Depois de adaptar Persépolis para o cinema, Marjane Satrapi junto à Vincent Paronnaud volta à telona com mais uma de suas histórias, Frango Com Ameixas. A quadrinista se adaptou bem à sétima arte, o que não é nenhuma surpresa se pensarmos que HQs são belos storyboards, e agrada novamente.

Diferente de Persépolis, Frango Com Ameixas é em live action (filme feito com atores reais), porém usa animações e efeitos por vários momentos para nos transportar ao universo dos quadrinhos e nos envolver em uma aura de fantasia que deixa o filme, apesar de seu tema, mais doce.

A adaptação é bem fiel à HQ, conta a história de um violinista, Nasser Ali, que depois de ter seu violino quebrado, nunca mais volta a encontrar outro à altura e perde a vontade de tocar e de viver, deita-se e espera a morte chegar. Enquanto ele aguarda, parte de sua história nos é contada por meio de flashbacks e alguns flash-forwards, destaco aqui um desses FF, onde ele imagina seu filho, já adulto morando nos Estados Unidos e a diretora aproveita para fazer uma cômica crítica ao “american way of life” por meio de uma paródia de sitcom.

O protagonista, Nasser, é interpretado pelo ator Mathieu Amalric que ganhou grande visibilidade após atuar em O Escafandro e a Borboleta. O ator é também diretor e recentemente lançou “Turnê” e “A Ilusão Cômica” que fizeram relativo sucesso em festivais, principalmente o primeiro. Além de Nasser, outros dois personagens bastante interessantes no filme são o filho de Nasser, um garoto docemente irritante que é responsável por alguns momentos de riso durante o filme, e Azrael, o anjo da morte islâmico, personagem tão emblemático que o título da adaptação chegou a ser pensado como “A Espera de Azrael”.

O modo com que a história é levada, somada aos efeitos visuais que formam belos quadros com personagens caricatos lembra em alguns pontos O Fabuloso Destino de Amelie Poulain. Mas as imagens e história, apesar de interessantes, não são capazes de alcançar a força de Persépolis, que além de ser uma autobiografia, tinha como plano de fundo um cenário histórico poderoso e muito bem explorado por Marjane. Frango Com Ameixas está para Persépolis, assim como Manderlay está para Dogville, por exemplo. O primeiro sempre viverá à sombra do segundo, o que não quer dizer que seja ruim, só não é tão bom quanto.

Assista ao trailer de Frango com Ameixas

Anúncios