melhor-filme-do-ano-arrotos

O SEGREDO DOS SEUS OLHOS – JUAN JOSÉ CAMPANELLA

Contrariando minha predileção por não escolher filmes que sejam de anos anteriores abro uma exceção para não cometer uma injustiça. O Segredo de seus Olhos foi sem dúvida um dos melhores filmes que vi esse ano. Vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, a produção de Juan José Campanella prima pelo ótimo roteiro e pelo elenco dramático. Tecnicamente perfeito, o filme induz o espectador a se envolver no romance platônico entre Benjamin (Ricardo Darin) e Irene (Soledad Villamil) ao passo que acompanhamos atentos o desenrolar de um misterioso crime.

melhor-diretor-do-ano-arrotos

ABBAS KIAROSTAMI – CÓPIA FIEL

Abbas Kiarostami pela sua genialidade em transformar um encontro aparentemente simples em um filme envolvente. O diretor iraniano reconhecido internacionalmente pela produção Gosto de Cereja utiliza toda a experiência da bela Juliette Binoche para realizar seu grande filme fora do Irã. Ótimos diálogos, locações e fotografia, Abbas é um sujeito cuidadoso que sabe fazer cinema com o que está ao seu alcance. A escolha de Abbas serve também de apoio ao compatriota Jafar Pahani, injustamente preso esse ano.

melhor-roteiro-do-ano-arrotos

LAETA KALOGRIDIS/DENIS LEHANE – ILHA DO MEDO

Ilha do Medo de Martin Scorsese não fica devendo ao livro Paciente 67 de Denis Lehane. Pelo contrário, trata-se de umas melhores adaptações dos últimos anos. Cada detalhe minucioso de cenário, diálogos e atmosfera é bem extraído da obra de Lehane, já conhecido por outro ótimo romance  – a adaptação  de Sobre Meninos e Lobos realizada por Clint Eastwood em 2003.

melhor-atriz-do-ano-arrotos

JULIETTE BINOCHE – CÓPIA FIEL

A interpretação que rendeu a Palma de Ouro à Juliette Binoche no último Festival de Cannes foi considerada a melhor de sua carreira por muitos críticos. De fato, gosto mais de sua participação em A Liberdade é Azul  (de Kieslowski) mas é inegável que a atriz tenha dado uma bela demonstração de sua competência após os comentários equivocados de Gerard Depardieu. Juliette rouba a cena em cada gesto, ação, diálogo do memorável filme de Abbas Kiarostami.

melhor-ator-do-ano-arrotos

WAGNER MOURA – TROPA DE ELITE 2

Sem acesso a Biutiful (Javier Barden) e True Grit (Jeff Bridges) não temo nomear Wagner Moura como o melhor ator do ano. Sua participação no sucesso de Tropa de Elite é fundamental, desde o primeiro filme onde desenvolveu um anti-herói reverenciado por boa parte da população. O agora Coronel Nascimento assume outra posição, mais madura e menos violenta mas tão impactante quanto a vista na produção anterior.

GUILLERMO FRANCELLA – O SEGREDO DOS SEUS OLHOS

Guillermo Francella, o Sandoval de O Segredo dos seus Olhos, não desaparece frente as atuações de Ricardo Darin e  Soledad Villamil, formando uma companhia perfeita a Benjamin no filme de Campanella. O ator interpreta um personagem que apesar da fraqueza e alcoolismo nutre uma amizade irreverente por seu colega de trabalho. Guillermo só atesta o entrosamento entre o casting, fundamental para o sucesso do filme.

melhor-fotografia-do-ano-arrotos

BENOÎT DEBIE – ENTER THE VOID

Enter the Void não é um filme que recomendaria aos meus amigos. Imerso no universo das drogas e do sexo (como demais obras de Gaspar Noé) o filme ganha destaque sobretudo pela fotografia. Tonalidades que lembram o Neon foram perfeitas para descrever uma Tokyo futurista. Ao contrário do que ocorre em Irreversível, onde o uso da camera na mão é tendencioso e exagerado, dessa vez Benoît Debie consegue boas tonalidades, ângulos e movimentação menos dolorosos ao espectador, desacostumado com tal técnica. Noé tenta de tudo para que o espectador faça parte de seu delirio visual. Dessa vez ao menos chegou mais perto.

melhor-edicao-do-ano-arrotos

ANDREW WEISBLUM – CISNE NEGRO

A edição é responsável pelo ritmo, intensidade e organização da narrativa. Cisne Negro de Darren Aronofsky é um filme que se destaca nesses três quesitos. Andrew Weisblum consegue manter o mistério que cerca o futuro da personagem Nina percorrendo sutilmente sua transformação.

melhor-documentario-do-ano-arrotos

UMA NOITE EM 67 – RICARDO CALIL / RENATO TERRA

Concluindo o papel de reativar a memória nacional, Uma Noite em 67 envolve até os menos saudosistas, pontuando acontecimentos sociais e artisticos relacionados ao festival realizado em 1967 pela TV Record. Com imagens de arquivo e depoimentos atuais o documentário revela com primor os bastidores de uma História que não era apenas musical mas que refletia o passado, presente e futuro de toda uma geração.

melhor-trilha-sonora-do-ano-arrotos

CLINT MANSELL – CISNE NEGRO

Clint Mansell é um velho colaborador de Darren Aronofsky. O destaque parecia impossível pelo vespeiro que seria trabalhar uma obra já existente – O Lago dos Cisnes de Tchaikovsky. Contudo, Mansell constrói uma trilha deslumbrante, fundamental para criar a atmosfera claustrofóbica na qual a personagem Nina (Natalie Portman) vai se perdendo durante o filme.

melhores-efeitos-especiais-do-ano-arrotos

PAUL J. FRANKLIN – A ORIGEM

A Origem constituiu-se como um desafio depois do ótimo trabalho de Cristopher Nolan em O Cavaleiro das Trevas. O roteiro confundiu muitos espectadores e as discussões sobre sonho e realidade ainda continuam. O sonho é algo tão complexo que diversos filmes tentaram reproduzi-lo utilizando efeitos visuais. No caso de A Origem os efeitos são sutis se comparados às outras grandes produções, mas relevantes tendo em vista a criação do universo onírico proposto pelo filme.

melhor-filme-de-animacao-do-ano-arrotos

O MÁGICO – SYLVAIN CHOMET

O Mágico de Sylvain Chomet tem a aura do 2d com os traços característicos do diretor de As Bicicletas de Belleville. Uma ótima animação que traz a vida o encantador Jacques Tati, genial comediante francês. Uma bela realização, uma bela homenagem.

melhor-serie-do-ano-arrotos

WALKING DEAD

Walking Dead foi um dos grandes fenômenos da TV americana em 2010. Seriado experimental de Frank Darabont, o projeto tem tudo para seguir adiante. Enfim alguém percebeu que o universo zumbi/terror pode conter diversos núcleos e render bons episódios. Contudo o seriado ainda precisa de mais refinamento já que o potencial de alguns atores parece bem baixo. Os EUA continuam investindo no apocalipse da humanidade.

SELEÇÃO MUNDIAL

O Segredo dos seus Olhos (ARG)

Tio Boonmee que pode recordar suas vidas passadas (TAI)

Cópia Fiel (FRA)

Ilha do Medo (EUA)

O Escritor Fantasma (ING)

Exit Through the Gift Shop (EUA)

A Vida dos Peixes (CHI)

Cisne Negro (EUA)

Machete (EUA)

Moscou, Bélgica (BEL)

Benoît Debie

Anúncios