Sequer o crítico mais feroz de Avatar imaginaria tal fracasso do filme de James Cameron na maior premiação da Indústria do Cinema. Surpreendentemente Guerra ao Terror abocanhou seis estatuetas enquanto a equipe de Cameron teve que se contentar com três. Dentre as seis estão as mais importantes da noite – Roteiro, Direção e Filme, enquanto seu concorrente direto levou Efeitos Visuais, Fotografia e Direção de Arte. A campanha do produtor que enviou e-mails pedindo votos teria funcionado ou a Indústria sentiu medo de premiar um filme muito exaltado mas ainda pouco digerido? No final do ano passado cantei a bola dando ao filme de Bigelow o título de Melhor do Ano, mas até para mim foi uma grata surpresa ver a supremacia de Guerra ao Terror.

Outras categorias trouxeram surpresas para palpites quase certos. O grande Michael Haneke ficou de lado e até mesmo o violento filme de Jacques Audiard, ambos garantiram passagem para a vitória de O Segredo dos seus Olhos, filme com ótimas críticas e que infelizmente não tive oportunidade de assistir. Destaque para o final do discurso de Campanella e a dedicatória para o povo chileno, mesmo a produção sendo argentina. E o que dizer do Roteiro Adaptado para Preciosa, campo em que Amor sem Escalas levaria sua única estatueta na noite? Merecido, apesar de achar certas passagens do filme de Lee Daniels um tanto forçadas. Já na premiação dos atores nenhuma surpresa, só a decepção com a vitória de Sandra Bullock, preferia Carey Mulligan mas entendo as dívidas da Academia.

Um dos esquetes mais engraçados da noite deu-se com a sátira do filme Atividade Paranormal perpetuada pelos apresentadores Steve Martin e Alec Baldwin. Outro destaque vai para Ben Stiller fantasiado de Na’vi, número que seria do polêmico Sacha Baron Cohen. Enquanto o humor negro era desenvolvido percebíamos um desconfortável George Clooney na platéia. Porém ninguém deve ter ficado mais decepcionado que James Cameron, o favorito para o prêmio de melhor diretor e filme. O desastre poderia ter sido maior se o injustiçado A Fita Branca ganhasse o prêmio de Melhor Fotografia. Tanta publicidade e elogios para Avatar e os principais prêmios caem no colo do primo pobre. Porém não se tratou de premiar uma mulher na direção, mas de reconhecer o primor técnico de Bigelow.

Há quem não entenda a decisão da Academia e seus votantes, mas parece claro que apostar em Avatar seria avançar demais. Nitidamente a tecnologia se sobressai diante da obra. Preferiu-se a película clássica sem muita maquiagem mas bem realizada ao salto absurdo dado por Cameron. Um desastre para o produtor Jon Landau, já que a chancela do Oscar seria quase um ISO9001 para seu filme. Agora quem recebe tal título é uma produção esquecida entre as prateleiras, se a repercussão de Guerra ao Terror aumentou com a indicação… imagine agora com a premiação… Muitos dos apaixonados por Avatar vão querer ver o que esse filme tem que o outro não. Ficarão decepcionados e entristecidos assim como Cameron que teve o azar de estar muito a frente de seu tempo. Nem o cinéfilo mais otimista imaginaria que o cinema independente ressurgiria com tanta força.

RESULTADO FINAL

Filme
Guerra ao Terror

Animação
Up – Altas Aventuras

Ator
Jeff Bridges (Coração Louco)

Ator Coadjuvante
Christoph Waltz (Bastardos Inglórios)

Atriz
Sandra Bullock (Um Sonho Possível)

Atriz Coadjuvante
Mo’Nique (Preciosa – Uma História de Esperança)

Canção
The Weary Kind (Coração Louco)

Curta-Metragem (animação)
Logorama

Curta-Metragem (documentário)
Music By Prudence

Direção de Arte
Avatar

Diretor
Kathryn Bigelow (Guerra ao Terror)

Documentário
The Cove

Efeitos Sonoros
Guerra ao Terror

Efeitos Sonoros
Guerra ao Terror

Efeitos Visuais
Avatar

Figurino
A Jovem Rainha Victoria

Filme Estrangeiro
O Segredo de Seus Olhos

Fotografia
Avatar

Maquiagem
Star Trek

Roteiro Adaptado
Preciosa – Uma História de Esperança

Roteiro Original
Guerra ao Terror

Som
Guerra ao Terror

Trilha Sonora
Up – Altas Aventuras

Anúncios